segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Faltam poucos giros de ponteiros para que o ano-novo se apresente! Espero poder redigir mais textos felizes do que tristes daqui pra frente...embora eu saiba que a tristeza se faz urgente no crescimento de cada um de nós...mas sabe o que é?...já estou cansada de crescer...meu bumbum dói muito com os tapas da vida...quero talco e colônia cheirinho-de-bebê...2011 será o meu ano da retomada...vou voltar ao meu corte do meu cabelo predileto, vou aumentar minha coleção de canecas e andar de bicicleta com uma mão só...voltarei a usar batom, sambar na frente do espelho e andar de mãos dadas com meu sorriso... 

By Maíra Vianna (adaptado)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Perdendo dentes


Pouco adiantou
Acender cigarro
Falar palavrão
Perder a razão

Eu quis ser eu mesmo
Eu quis ser alguém
Mas sou como os outros
Que não são ninguém

Acho que eu fico mesmo diferente
Quando eu falo tudo o que penso realmente
Mostro a todo mundo que eu não sei quem sou
Eu uso as palavras de um perdedor

As brigas que ganhei
Nem um troféu
Como lembrança
Pra casa eu levei

As brigas que perdi
Estas sim
Eu nunca esqueci
Eu nunca esqueci

Pouco adiantou
Acender cigarro
Falar palavrão
Perder a razão

Eu quis ser eu mesmo
Eu quis ser alguém
Mas sou como os outros
Que não são ninguém

Acho que eu fico mesmo diferente
Quando eu falo tudo o que penso realmente
Mostro a todo mundo que eu não sei quem sou
Eu uso as palavras de um perdedor

As brigas que ganhei
Nem um troféu
Como lembrança
Pra casa eu levei

As brigas que perdi
Estas sim
Eu nunca esqueci
Eu nunca esqueci

As brigas que ganhei
Nem um troféu
Como lembrança
Pra casa eu levei

As brigas que perdi
Estas sim
Eu nunca esqueci
Eu nunca esqueci



Pato Fu

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Deixa eu acreditar...







A cena repete, a cena se 

inverte, 

enchendo a minh'alma 

d'aquilo que outrora eu, 

deixei 

de acreditar...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

O ano se despede...

Olhando daqui, percebo que pessoas e circunstâncias tiveram um propósito maior na minha vida do que muitas vezes, no momento de cada uma, eu soube, pude, aceitei, ler. Parece-me, agora, que cada uma, no seu próprio tempo, do seu próprio modo, veio somar para que eu chegasse até aqui, embora algumas vezes, no calor da emoção da vez, eu tenha me rendido à enganosa impressão de que veio subtrair. A vida tem uma sabedoria que nem sempre alcanço, mas que eu tenho aprendido a respeitar, cada vez com mais fé e liberdade.

O tempo, de vento em vento, desmanchou o penteado arrumadinho de várias certezas que eu tinha, e algumas vezes descabelou completamente a minha alma. Mesmo que isso tenha me assustado muito aqui e ali, no somatório de tudo, foi graça, alívio e abertura. A gente não precisa de certezas estáticas. A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar. De se tornar manhã novíssima depois de cada longa noite escura. De duvidar até acreditar com o coração isento das crenças alheias. A gente precisa é saber criar espaço, não importa o tamanho dos apertos. A gente precisa é de um olhar fresco, que não envelhece, apesar de tudo o que já viu. É de um amor que não enruga, apesar das memórias todas na pele da alma. A gente precisa é deixar de ser sobrevivente para, finalmente, viver. A gente precisa mesmo é aprender a ser feliz a partir do único lugar onde a felicidade pode começar, florir, esparramar seus ramos, compartilhar seus frutos.

Tudo o que eu vivi me trouxe até aqui e sou grata a tudo, invariavelmente. Curvo meu coração em reverência a todos os mestres, espalhados pelos meus caminhos todos, vestidos de tantos jeitos, algumas vezes disfarçados de dor.

Eu mudei muito nos últimos anos, mais até do que já consigo notar, mas ainda não passei a acreditar em acaso.
(Ana Jácomo, do texto  Nexo)

terça-feira, 7 de dezembro de 2010




"O sonho encheu a noite, extravasou pro meu dia, encheu minha vida e é dele que eu vou viver, porque sonho não morre."(Adélia Prado)

terça-feira, 30 de novembro de 2010





Tão difícil compreender os sonhos de Deus na vida, tão difícil ser quebrada, mudada. Tão difícil morrer para nossas vontades e deixar nossa vida nas mãos de Deus.
Tu sabes o que fazes, obrigada Senhor!

domingo, 28 de novembro de 2010

RomantiqueC'est une espèce en voie de disparition!Romantiques sont quelquesRomantiques sont fousComme moi!
Romantiques sont fousRomantiques sont quelquesComme moi! Comme moi!

Vander Lee 














nado o rio São Francisco
buscando o remanso pro meu coração









Abaçaiado. O teatro mágico

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Moment de réflexion


Se você não entrega o seu coração a Deus, o que lhe entrega? (São Padre Pio)
quem procura as melhores palavras, ainda não está certo.
devemos procurar o melhor silêncio.
o silêncio exato.




Carpinejar





Gostar mais, de menos pessoas...

O caso da abelha (me aventurando em contos)

Lá estou eu, depois de sair do trabalho: cansada, feliz e estressada no ponto dos bus, porque o bendito do ônibus não passa... Fato naturalíssimo, quando se trata do transporte em "Brasólia"!
De repente vejo um ponto amarelo, meu ônibus com letreiro bonitinho ''Gama Leste'', piscando, piscando...
Entrei, catei meu cartão e plin, passei a catraca. O meu lugar é sempre o mesmo, é que não tenho facilidade para me adaptar a novos espaços...rs
Me acomodo já pensando em cochilar até o fim da L2 sul, entro na UnB e o cobrador e motorista cogitam sobre o que significa a tal sigla ''UnB'', saiu de tudo, menos o que significava corretamente (óh céus)!!!... Porém, não mais que de repente... surge (toca a nona sinfonia de Beethoven ) a ABELHA!
Uma  graça a bichinha, amarela com listras pretas, muito simpática por sinal( até atrapalhar meu sono!!!!). Ela estava lá no seu habitat natureba e resolveu entrar no meu habitat, aí não serviu!! Conflito!Minha mãe sempre me disse que insetos que carregam em seus lindos corpos essas cores são perigosos, e eu lá lembrei disso?
Ela ia e vinha... Pensei, coitadinha tão graciosa não poderei matá-la!
Por sorte bolsa de mulher tem tudo! 
Eu, com minha linda lata de Club Social, me aventurei tentando capturar a bichinha... ela muito esperta fugia... e a moça atrás de mim com gritos ''ai, ai,ai''... um exagero!
Por fim eu certamente venci!!! Mas não ouve marcas de sangue no local... 
Abri a latinha, e... estratégicamente capturei a custosa!
Tcharam!!! 
No ônibus, toda aquela movimentação na janela deve ter chamado atenção... acredito que, podem ter pensado que eu, estudante de Pedagogia era aluna de Biologia capturando insetos...kkk
Lata fechada, missão cumprida(ou não)! Agora eu podia dormir tranquilamente... ufa!
Desci do ônibus, e esqueci de soltá- la... Chegando na facul. , aula de Educação Ambiental!Beleza, iria contar e dramatizar o Caso da Abelha...  Soltei a pobrezinha pela janela... saiu feliz da vida!
Bom, meu mestre disse que, provavelmente a abelhinha não sobreviveria sozinha em terras gamences, sem suas amigas de classe média alta da L2 norte...
Ops, volta menina, vou te levar para a casa novamente...Psiu, vem, entra aqui na latinha de Club Social...

terça-feira, 23 de novembro de 2010



"A música, que eleva a palavra e o sentimento até a sua última expressão humana, interpreta o nosso coração e nos une ao Deus de toda beleza e bondade". 


 Dom Paulo Evaristo Arns 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Para se roubar um coração, é preciso que seja com muita habilidade, tem que ser vagarosamente, disfarçadamente, não se chega com ímpeto, não se alcança o coração de alguém com pressa. Tem que se aproximar com meias palavras, suavemente, apoderar-se dele aos poucos, com cuidado. Não se pode deixar que percebam que ele será roubado, na verdade, teremos que furtá-lo, docemente. Conquistar um coração de verdade dá trabalho, requer paciência, é como se fosse tecer uma colcha de retalhos, aplicar uma renda em um vestido, tratar de um jardim, cuidar de uma criança. É necessário que seja com destreza, com vontade, com encanto, carinho e sinceridade. Para se conquistar um coração definitivamente tem que ter garra e esperteza, mas não falo dessa esperteza que todos conhecem, falo da esperteza de sentimentos, daquela que existe guardada na alma em todos os momentos. Quando se deseja realmente conquistar um coração, é preciso que antes já tenhamos conseguido conquistar o nosso, é preciso que ele já tenha sido explorado nos mínimos detalhes, que já se tenha conseguido conhecer cada cantinho, entender cada espaço preenchido e aceitar cada espaço vago.
…e então, quando finalmente esse coração for conquistado, quando tivermos nos apoderado dele, vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco. Uma metade de alguém que será guiada por nós e o nosso coração passará a bater por conta desse outro coração. Eles sofrerão altos e baixos sim, mas com certeza haverá instantes, milhares de instantes de alegria. Baterá descompassado muitas vezes e sabe por que? Faltará a metade dele que ainda não está junto de nós. Até que um dia, cansado de estar dividido ao meio, esse coração chamará a sua outra parte e alguém por vontade própria, sem que precisemos roubá-la ou furtá-la nos entregará a metade que faltava.
… e é assim que se rouba um coração, fácil não? Pois é, nós só precisaremos roubar uma metade, a outra virá na nossa mão e ficará detectado um roubo então! E é só por isso que encontramos tantas pessoas pela vida a fora que dizem que nunca mais conseguiram amar alguém… é simples… é porque elas não possuem mais coração, eles foram roubados, arrancados do seu peito, e somente com um grande amor ela terá um novo coração, afinal de contas, corações são para serem divididos, e com certeza esse grande amor repartirá o dele com você.
Luís Fernando Veríssimo

Alguns motivos, pelos quais meninos gostam de meninas...

1-O cheirinho delas é sempre gostoso, mesmo que seja só xampu.
2-O jeitinho que elas têm de sempre encontrar o lugarzinho certo em nosso ombro.
3-A facilidade com a qual cabem em nossos braços.
4-O jeito que têm de nos beijar e, de repente, fazer o mundo ficar perfeito
5-Como são encantadoras quando comem.
6-Elas levam horas para se vestir, mas no final vale a pena.
7-Porque estão sempre quentinhas, mesmo que esteja fazendo trinta graus abaixo de zero lá fora.
8-Como sempre ficam bonitas, mesmo de jeans, camiseta e rabo-de-cavalo.
9-Aquele jeitinho sutil de pedir um elogio.
10-Como ficam lindas quando discutem.
11-O modo que tem de sempre encontrar a nossa mão.
12-O brilho nos olhos quando sorriem.
13-Ouvir a mensagem delas na secretária eletrônica logo depois de uma briga horrível.
14-O jeito que têm de dizer "Não vamos brigar mais, não...", embora você saiba que dali a uma hora...
15-A ternura com que nos beijam quando lhes fazemos uma delicadeza.
16-O modo de nos beijarem quando dizemos "eu te amo".
17-Pensando bem, só o modo de nos beijarem ja basta.
18-O modo que têm de se atirar em nossos braços quando choram.
19-O jeito de pedir desculpas por terem chorado por alguma bobagem.
20-O fato de nos darem um tapa achando que vai doer.
21-O modo com que pedem perdão quando o tapa dói mesmo
(embora jamais admitamos que doeu).
22-O jeitinho de dizerem "estou com saudades".
23-As saudades que sentimos delas.
24-A maneira que suas lágrimas têm de nos fazer querer
mudar o mundo para que mais nada lhes cause dor.

Do livro, Histórias para aquecer o coração dos adolescentes.
''Existe um único antídoto para a falta de tempo. Um único. Estar apaixonado. Esquecer de si para inventar o desejo. O desejo transforma-se no próprio tempo. Tudo é adiado. A dispersão nos leva a reparar nas janelas, nos interruptores, nos sapatos dos colegas. As córneas se abaixam. Nada mais tem tanto significado do que se aprontar, ensaiar e aguardar perfumado o encontro. Passar as roupas é uma necessidade. Os vincos são desafiados com inusitada paciência. Depilamos a agenda. Compromissos sérios pulam de casas e horários. Antes imutáveis, as reuniões trocam de vôo de modo nervoso. O trabalho passa violentamente rápido. Não há o medo de ser demitido, o medo de se proteger, o medo de repetir as relações passadas, a segurança de prever. Cada um assume uma condição noturna, intermitente, o olhar abobado e a vontade excessiva. A imaginação pára a escrita em um só nome. Aconselho a quem não tem tempo: apaixone-se. Perca a cabeça na guilhotina. Entregue seus pés para a espuma. Permita a cintura subir como um chafariz. Não pense que vai dar errado. O que pode dar errado já aconteceu antes. Dentro do tempo.''

Fabrício Carpinejar

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

E tudo que eu criar pra mim...







Vai me abraçar de novo semana que vem
E tudo que eu criar pra mim
Vai me abraçar de novo
Vai me negar também
semana que vem
Antes que o tempo acabe...
A primeira semana- TM



Tenho admiração nata por quem segue o coração. Eu acredito nas pessoas livres. Liberdade de ser. Coragem boa de se mostrar. Dar a cara a tapa! Ser louca, estranha, linda, chata! Eu sou assim. Tenho um milhão de defeitos. Sou volúvel. Tenho uma TPM horrivel. Sou viciada em gente. Adoro ficar sozinha. Mas eu vivo para sentir.
Fernanda Mello

terça-feira, 16 de novembro de 2010

La Medusa...

Uma cabeça bem-feita, vale mais do que uma cabeça cheia.

--Montaigne


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O começo será o prelúdio do fim


Senta-se. Estende tuas pernas. Fecha os olhos e os ouvidos. Eu nada te direi durante cinco minutos para que possas pensar na Quinta Sinfonia de Beethoven. Vê, e isto será mais perfeito ainda, se consegues não pensar por palavras, mas criar um estado de sentimento. Vê se podes parar todo o turbilhão e deixar uma clareira para a Quinta Sinfonia. É tão bela 

Só assim a terás, por meio do silêncio. Compreendes! Se eu a executar para ti, ela se desvanecerá, nota após nota. Mal dada a primeira, ela não mais existirá. E depois da segunda, o segundo não mais ecoará. E o começo será o prelúdio do fim, como em todas as coisas. Se eu a executar ouvirás música e apenas isto. Enquanto que há um meio de detê-la parada e eterna, cada nota como uma estátua dentro de si mesmo.

Não a executes, é o que deves fazer. Não a escutes e a possuirás. Não ames e terá dentro de ti o amor. Não fumes o teu cigarro e terás um cigarro aceso dentro de ti. Não ouças a Quinta Sinfonia de Beethoven e ela nunca terminará para ti.


(Lispector, Outro Escritos, Cartas a Hermengardo, pag. 21)

domingo, 14 de novembro de 2010

(...) não existia essa coisa de não ter nada a perder. O que existia era alguém que arrisca tudo; pois embaixo do nada e do nada e do nada, estamos nós que, por algum motivo, não podemos perder.
Clarice Lispector em "A Maça no Escuro". Rocco. p. 154

sábado, 13 de novembro de 2010

Achei por aí...

Escolha uma banda : O Teatro Mágico

Descreva-se: Eu não sou Chico mas quero tentar 

O que as pessoas acham de você: Alguma coisa

Descreva sua última relação: Pena

Descreva sua atual relação: (...)

Onde você queria estar agora: Realejo

O que você pensa sobre o amor: Pratododia

Como é sua vida: Mais e menos

Se você tivesse direito a apenas um desejo: Carinho de mãe

Uma frase sábia: O Tudo é uma coisa só

Uma frase para os próximos: Amém

Canalize seus desejos para Deus!

Além de palavras aqui no blog, ele sendo meu, e eu sendo fonte  de canalização da palavra de Deus... Aqui vão um pouquinho das palavras do querido Pe. Léo!
[...]Faze de mim um nobre domador
Laçando acordes e versos
Dispersos no tempo
Pro templo do amor[...]
[..]Hei de envolver-me em pura poesia[...]
--VanderLee


" Somente com o coração nós podemos ver com clareza. O essencial é invisível para os olhos"
-Le petit prince                                                                            






Que palavras sejam gestos 
Gestos sejam pensamentos 
Da voz que move nossos corações.

Vander Lee

Cartas

Eu amo coisas escritas à mão, eu amo letras, palavras, idéias... CARTAS!
Ando sem tempo nenhum pra ler, mas vou comprar Minhas Queridas, cartas de Clarice Lispector para suas irmãs no período de 1944 a 1959. Mal posso esperar pra ler Clarice falando por si...
Definitivamente… nasci na época errada… não quero mais email =( quero correio, esperas, demoras...

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Mais que puxa...rs


♪ Sonhando sons ♪


[...]Sonhando sons, criando asas
E as asas pisando o céu
Entrando e saindo das casas
Brincando qual pipa de papel
Driblando dragões e cometas
E contando histórias pra lua
Brincando de roda com os planetas
Bem ali[...]
Vander Lee